sexta-feira, 3 de junho de 2011

Ashamed

Eu fico olhando pro que a gente já foi, querido e me pego pensando se a gente não poderia ter sido algo mais ou o que faltou para a gente alcançar aquele outro nível de intimidade.
Eu olho pra trás deixando minúsculos pedaços de mim no caminho, pra quem sabe um dia, você se juntar a mim nessa vida meio entediante, quem sabe você até não consegue agitá-la um pouquinho com o seu jeito dadaísta de lidar com as coisas, é tudo tão vago, tão sem sentido e quando se começa a entender, você pára, como se eu já soubesse demais.
Você não olha pra trás às vezes?
Aposto que sim.
Você não fica um pouco envergonhado?
Porque prometeu que ia ser pra sempre, que nós íamos ter filhos que iam gostar do nosso estilo e escutar um metal pesado seguido de música clássica, só pra eles não ficarem muito agitados. Você disse que nós iriamos envelhecer juntos e que queria que eu fosse a última que você beijasse e talvez seja o sono falando mais alto ou a verdade realmente querendo aparecer, mas eu realmente acreditei em você e em toda a fantasia que eu criei pra nós dois.
Mas aí que jaz o problema, não é?
Nunca passou de uma fantasia, um devaneio ou um sonho que a gente não quer acordar.
Você olha pra trás e não se sente nem um pouquinho envergonhado?

                                                                            porque deveria.

Um comentário:

Outono disse...

Sérinho, eu amo esse texto.